Santander garantia de imóvel em 2022: o que é e como funciona?

Santander garantia de imóvel

Santander garantia de imóvel – Popular nos Estados Unidos e em alguns países europeus, o crédito à habitação com garantia é uma linha de crédito cuja principal característica é a utilização de um imóvel como garantia.

Aqui no Brasil ainda não é muito conhecido, mas isso não significa que não seja uma boa opção de crédito, pelo contrário, essa modalidade pode ser muito vantajosa dependendo dos objetivos. E para você Para entender melhor como funciona, descobrir suas vantagens e tirar suas dúvidas, preparamos um conteúdo especial sobre esse tipo de empréstimo.

Como funciona o Santander garantia de imóvel?

Empréstimos com garantia imobiliária ou home Equity (termo em inglês para esta modalidade) permite que você tire os planos do papel com o que já tem em mãos.

Veja como funciona, digamos que você tenha uma casa e queira usar esta propriedade para obter crédito de uma instituição financeira. Ao solicitar um empréstimo nesta modalidade, você oferece seu imóvel (residencial ou comercial) à instituição como garantia e dá a ela o empréstimo que você precisa.

Enquanto você paga as parcelas do empréstimo, a instituição tem seus bens como garantia de pagamento. Após o pagamento do valor, você terá seu imóvel de volta.

Leia mais: Construcard da Caixa viabiliza crédito para reformar o imóvel

Lembre-se que em nenhum momento durante o período do contrato o imóvel será retirado do seu nome, ou seja, não pertencerá à instituição financeira. Ela só atuará como co-proprietária por um tempo limitado.

Dessa forma, você continua a usar a propriedade normalmente e mantém a propriedade direta da propriedade enquanto paga o empréstimo.

Vantagens do empréstimo à habitação:
Taxas de juro mais baixas

A principal vantagem deste tipo de empréstimo é a taxa de juro, que tende a ser muito inferior a outros modelos de empréstimo.
Isto deve-se ao o pagamento desse tipo de empréstimo costuma ter um prazo maior do que outros empréstimos do mercado. Com isso, os riscos de inadimplência são muito menores, permitindo que as instituições financeiras ofereçam taxas de juros mais vantajosas.

Longo Prazo

Como mencionado acima, o prazo de pagamento é um diferencial importante nessa modalidade de empréstimo. uma vez que o período de reembolso da dívida é muito mais longo do que outros empréstimos. Para outras modalidades, como o empréstimo pessoal, o prazo gira em torno de 10 anos.

Com o financiamento imobiliário, a dívida pode ser quitada em até 20 anos. No Santander, por exemplo, se chama Usecasa e você tem um empréstimo a partir de R$ 30.000, com parcelas fixas e sem correção. Assim você não vai comprometer seu orçamento e quitar a dívida com mais tranquilidade.

Empréstimo para usar como quiser

Se você quiser reformar sua casa, abrir um negócio, viajar, casar, investir na faculdade ou até trocar empréstimos mais caros para quitar sua dívida. O empréstimo com garantia imobiliária permite que você organize sua vida financeira ou realize um sonho sem precisar explicar para que situação serve o dinheiro.

O imóvel só é vistoriado para determinar condições como: metragem quadrada, infraestrutura, sistemas elétricos e hidráulicos, entre outros fatores. Após a análise, você precisará registrar seu contrato em cartório e enviá-lo à instituição de sua preferência para a liberação do empréstimo.

Lembre-se: Antes de contratar esse tipo de empréstimo, é melhor realizar uma simulação para entender as condições, verificar as condições, o valor das parcelas, entre outros.

No Santander, a simulação é gratuita e sem compromisso. Para simular seu empréstimo com garantia imobiliária, é só clicar aqui.

Um empréstimo à habitação é o mesmo que uma hipoteca?

Ambos os tipos de empréstimo usam a propriedade como garantia. A diferença entre eles é que não só a hipoteca é abandonada como prática de financiamento imobiliário e de empréstimos, mas também permite que o cliente mantenha o imóvel em seu nome sem que a instituição financeira se torne coproprietária.

Isso fez com que as instituições assumissem altos riscos na emissão desse tipo de empréstimo, o que fez com que as taxas de juros subissem. Com a introdução da alienação fiduciária em 1997, o crédito com garantia de título passou a dar mais segurança às empresas e bancos que oferecem esses tipos de produtos, pois a propriedade do imóvel passou a ser indiretamente associada ao nome da instituição financeira (fiduciário).

Com essas novas regras, a prática do crédito imobiliário tornou-se menos difundida aqui no Brasil, dando mais espaço ao empréstimo com garantia de título, que pode oferecer melhores condições para as empresas e seus clientes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.